Conteúdo para Profissionais: Curiosidades sobre a Copaíba

Família: Fabaceae 
Género: Copaifera

A origem do nome é do tupi “cupa-yba”, que significa “árvore de depósito”, referindo-se ao óleo que possui em seu interior, além de seus 25 a 40 metros de altura e possibilidade de viver até 400 anos.

Suas propriedades medicinais eram muito conhecidas pelos índios que os utilizavam para curar feridas de guerreiros após batalhas e para passar no coto umbilical de recém-nascidos.

Supõe-se que tal conhecimento vem da observação do comportamento de alguns animais feridos, que se atritavam no tronco das árvores de copaíba, na busca da cicatrização de suas feridas.

Curiosidades sobre a extração do óleo

A parte da árvore que é empregada medicinalmente é o óleo resina que se acumula em cavidades no interior de seu tronco.

O processo de extração do óleo-resina de copaíba ainda é artesanal. Com um furador, perfura-se a árvore a 60 ou 70 centímetros do chão, até o centro do caule. Em seguida, coloca-se um cano embaixo do orifício para que o óleo escoe até um recipiente. Deixa-se o óleo escorrer por alguns dias, e ao final da colheita, o orifício é vedado com argila para impedir a infestação da árvore por fungos ou cupins.

A produção anual do óleo por árvore pode chegar a 50 litros. A média de retirada de óleo, por vez para cada árvore, varia, mas é em torno de 3 litros, dependendo da espécie.  Algumas árvores podem chegar a fornecer até 30 litros em uma só retirada.

Recomenda-se que o óleo seja extraído de árvores com mais de 10 anos de idade e com um diâmetro maior do que 40 cm, em 2 ou 3 coletas por ano.

A resina oleosa inicial é clara, fina e incolor. Quando entra em contato com o ar, torna-se mais espessa e escurece.  As resinas comercialmente vendidas são um líquido espesso, claro, com uma cor que varia do amarelo claro ao marrom claro dourado.

Utilizações na medicina indígena e fitoterapia

No Rio Solimões na Amazônia, o óleo resina de copaíba é usado topicamente por tribos indígenas como um curador de feridas, para parar sangramentos, tratar feridas na pele e tratar psoríase.

Na fitoterapia brasileira esse óleo resina é utilizado como um forte antisséptico e como um anti-inflamatório tópico para todos os tipos de problemas de pele.

Entre as propriedades medicinais do óleo de copaíba a mais estudada foi a anti-inflamatória.

Estudiosos avaliaram a atividade anti-inflamatória do óleo em ratos utilizando diversos modelos e seus resultados indicam que o óleo possui atividade anti-inflamatória e baixa toxidez.

Esse potencial se mostrou duas vezes maior que o encontrado no medicamento diclofenaco de sódio, um dos medicamentos mais utilizados no mercado.

É conhecido como um antibiótico natural altamente eficaz contra bactérias e entre elas estão (Estafilococos, Estreptococos, Enterococos)

Atividades biológicas e pesquisa clínica

Grande parte da pesquisa clínica realizada tem verificado os usos tradicionais de copaíba.

Em 2002, pesquisadores brasileiros confirmaram que era altamente eficaz como agente de cura da ferida tópica em estudos com animais.

Usado externamente para a inflamação de todos os tipos, a pesquisa clínica valida efeitos anti-inflamatórios.

Principais usos

Como um analgésico tópico e anti-inflamatório e cicatrizante para feridas, eczemas, dermatite, picadas de insetos, furúnculos e psoríase.

Como um antisséptico, desinfetante e um agente antimicrobiano para infecções bacterianas externas.

Para unhas e pele com fungos.

Propriedades / Ações documentadas em estudos

Analgésico, anti-inflamatório, antibacteriano, antifúngico, cicatrizante.

Estudos de absorção na pele de camundongos, entretanto, mostraram que a absorção percutânea do óleo de copaíba é muito lenta, por volta de noventa e dois minutos.

Em alguns estudos, realizados em modelo de ferida aberta, os ratos que receberam óleo de copaíba na região dorsal apresentaram aumento de tecido de granulação e do número de vasos sanguíneos.

Lembre-se: Sempre utilize produtos com registro da ANVISA e em caso de reações cutâneas, suspenda o uso e anote na ficha de anamnese do cliente ou paciente.

E você, já usou óleo de copaíba na podologia?
Conte para a gente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *